Biblioteca Municipal Alpiarça – Digital

A Biblioteca Municipal de Alpiarça tem estado, desde sempre, atenta à evolução das novas Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC) e ao modo como o seu crescimento exponencial foi modificando os actos de criar e de aceder à informação.

Observadores e plenamente conscientes da mudança de paradigma que se fazia adivinhar: de uma biblioteca tradicional, com a informação centrada em documentos impressos, tangíveis, passámos a ter, a pouco e pouco, uma biblioteca híbrida em que os documentos tradicionais começaram a conviver com os documentos electrónicos (K7, VHS, CD e DVD), depois com os documentos não tangíveis, com os quais o acesso à informação se faz por acesso remoto, suportada por uma rede informática de dimensões inimagináveis, a Rede das redes, a Internet.

Ao longo dos anos temos procurado disponibilizar aos nossos utilizadores os meios de acesso à informação existente nesse novo mundo digital, contribuindo assim para a inclusão digital e literacia informacional, esbatendo desigualdades no acesso a essa informação. Temos igualmente contribuído com conteúdos para essa mesma Rede – informação sobre a nossa colecção, serviços e actividades – mas agora podemos dar um contributo maior, através da implementação da Biblioteca Municipal de Alpiarça – Digital (BMA-Digital).

OBJECTIVOS
Dentro do objectivo generalista de irmos ao encontro das necessidades dos nossos utilizadores, auscultando criteriosamente o pulular da nossa comunidade, agora afectada profundamente pela chamada globalização, numa perspectiva multicultural, que tem modificado profundamente as suas relações intra e extracomunitárias, procuraremos reforçar o nosso papel e a nossa identidade colocando conteúdos digitais na Rede.
Objectivos específicos:

√ Produzir conteúdos digitais e disseminá-los na Rede, reforçando a missão da Biblioteca Municipal de Alpiarça como pólo de preservação, investigação e difusão da história e cultura locais, agora no novo mundo digital.

√ Que os documentos digitais produzidos e disponibilizados tenham uma forte ligação identitária com a comunidade alpiarcense, contribuindo para diversidade cultural global.

√ Aumentar significativamente o número de documentos disponíveis no nosso Fundo Local, mesmo no formato tradicional.

√ Participação na RNOD e na Europeana – Seguir os critérios de produção e disponibilização de conteúdos digitais nacionais e internacionais, de molde a participarmos na Rede Nacional de Objectos Digitais (RNOD) e na Biblioteca Virtual Europeia (Europeana).

Serão, naturalmente, os documentos do Fundo Local o grosso da nossa colecção digital. Pensamos que esta forma de disponibilizar a informação contida neste Fundo com características muito peculiares, de alto valor patrimonial, parte dela constituída por documentos únicos e sensíveis no seu manuseamento, além de contribuir para a sua preservação física e intelectual, irá também potenciar a partilha dos mesmos junto da comunidade. Isto tanto na consulta como na recolha de novos documentos para esta importante fonte de informação sobre a história e cultura locais.

A ideia de um indivíduo ou instituição ter a possibilidade de partilhar documentos seus com a comunidade, mas estes continuarem na sua posse, no seu espaço físico, acaba por ser um forte incentivo à sua disponibilização e, nesse aspecto, uma biblioteca digital parece-nos ser, actualmente, a melhor forma de o fazer, dado o seu grande potencial na recolha, armazenamento, difusão e partilha da informação.

E este será o início de um longo caminho, onde a inclusão de outros documentos (objectos digitais) – fotografia, áudio, vídeo e multimédia – com forte ligação à nossa comunidade, que reforcem a nossa identidade, que nos façam presentes na diversidade cultural global, poderão ser também uma realidade a muito breve prazo. Além da cópia dos documentos tradicionais, impressos – monografias, boletins, folhetos e as publicações periódicas, como por exemplo a Voz de Alpiarça –, para o formato digital, queremos incluir na nossa colecção digital documentos originais, que terão a sua génese precisamente no formato digital e na BMA-Digital. Serão documentos de autor, com interesse para a nossa comunidade (e não só) e que terão aqui a oportunidade de serem disponibilizados.